Pesquisa:
0
28.11.2014
Movimento Sindical
Metalúrgicos de Gravataí/RS conquistam 40 horas
CNTM
Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

O Sindicato da categoria organizou um seminário internacional para debater a estratégia que garantiu esta conquista para os trabalhadores.
Clique aqui e saiba mais

0
20.10.2014
Movimento Sindical
Redução da Jornada de Trabalho
Miguel Torres
Presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e vice-presidente da Força Sindical

"Em 2015 serão completados 20 anos que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 231/95, que trata da redução de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução salarial, aguarda votação no Congresso Nacional, sem que o governo tenha movido uma palha para que isto aconteça.

Reduzir a jornada é uma das principais bandeiras defendidas pela Força Sindical e pelas demais Centrais, e é fundamental para a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores (mais tempo para o convívio familiar, para o lazer e para sua própria qualificação profissional) e para uma maior geração de empregos com carteira assinada (cerca de dois milhões de novos empregos num primeiro momento), fomentando, inclusive, a inclusão produtiva e social de jovens e desempregados.

Além disto, um trabalhador mais descansado produz mais trabalhando melhor, minimizando, assim, os eventuais riscos de acidentes graves – e até fatais – e doenças do trabalho. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Barcelona concluiu que uma jornada superior a 40 horas causa danos físicos e emocionais irreparáveis para os trabalhadores, como ansiedade, depressão, lesões por esforços repetitivos e até problemas cardíacos.

O mais curioso é que, apesar de o governo não dar a devida atenção à redução da jornada, ele próprio seria beneficiado, uma vez que a atual jornada de trabalho é responsável por uma boa fatia do rombo da Previdência, em virtude do grande número de licenças médicas fornecidas, seguros-acidentes, despesas hospitalares, reabilitações, internações e medicamentos, entre outros procedimentos.

Nos últimos quatro anos, a média de gastos da Previdência com saúde, geradas no ambiente de trabalho, cresceu acima das despesas com afastamentos previdenciários gerais. A última vez em que ocorreu uma redução da jornada foi em 1988, com a reforma constituinte, passando de 48 para 44 horas semanais.

Vale ressaltar que a redução da jornada de trabalho só trará benefícios para toda a sociedade, através do aumento da produtividade e do consumo, e de uma melhor distribuição de renda".

Miguel Torres
Presidente da CNTM/Força Sindical/Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo

0
17.10.2014
Movimento Sindical
Jornada no Brasil é superior à de muitos países
Blog 40 Horas
Arte Jaws Digital

A jornada anual de trabalho no Brasil é de 2.640 horas, superior à da Alemanha (1.388), Espanha (1.665), Japão (1.735), EUA (1.788), Turquia (1.832), Rússia (1.980) e Coreia (2.163), entre outros. A redução da jornada para 40 horas é uma luta histórica do movimento sindical.

Veja matéria completa sobre este tema na página 11 do Diário de S.Paulo, sexta-feira/17 de outubro de 2014 

1
13.10.2014
Cidadania
Jornada de trabalho reduzida ganha defensores
Blog 40 Horas
Arte Jaws Digital

Especialista da OIT e o magnata mexicano Carlos Slim concordam que pessoas trabalham demais e que uma semana de trabalho menor ajudará a criar empregos

POR O GLOBO - 10/10/2014 7:52 / ATUALIZADO 10/10/2014 8:03

Segundo especialista da OIT, muito trabalho é ruim para a saúde

RIO — Trabalhar muito é ruim para a saúde. A afirmação é do especialista da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Jon Messenger, que, em entrevista à Rádio ONU, citou cinco boas razões para se trabalhar quatro dias por semana. Chefe do Grupo de Condições de Trabalho da OIT, Messenger explica que os custos de longas horas de trabalho são enormes, e o resultado disso são doenças cardiovasculares, problemas nos sistemas digestivo e reprodutivo, além de problemas de saúde mental.

O especialista afirma que tem estudado o assunto desde que foi contratado pela agência, há 14 anos, e costuma citar vários artigos que mostram os benefícios de uma semana de trabalho reduzida, com depoimentos de empresários como o co-fundador do Google, Larry Page, e o bilionário mexicano, Carlos Slim, que concorda que as pessoas estão trabalhando além da conta.

Segundo o magnata das telecomunicações mexicano, a vida seria melhor com uma semana de trabalho de apenas três dias.

 “Você deveria ter mais tempo para você durante toda a sua vida, e não só quando tiver 65 anos e já ter se aposentado”, afirmou em entrevista, na última terça-feira, à CNNMoney.

A declaração de Slim, no entanto, parece um tanto contraditória, já que trilhou um caminho contrário até alcançar o patrimônio que tem hoje, estimado em US$ 83 bilhões. Ele chegou a sugerir turnos de 11 horas e que a idade para a aposentadoria fosse de 75 anos. Recentemente, franziu as sombrancelhas ao lhe apresentarem a ideia de uma semana de trabalho de três dias. O cenário, no entanto, parece ter mudado completamente, já que, durante a entrevista de terça-feira, o magnata mexicano parece ter se dobrado à proposta de uma jornada reduzida de trabalho:

 “Tenho certeza de que isso vai acontecer", afirmou o empresário de 74 anos à repórter Christine Romans, da CNNMoney, embora admitisse que não tem certeza de quando.

Embora ressalte que “máquinas devem trabalhar 24 horas e os serviços devem funcionar o tanto quanto possível”, Slim disse que as pessoas merecem mais tempo para o entretenimento, família e para se qualificarem para conseguir empregos melhores. Ele também acredita que essa mudança radical na jornada de trabalho daria aos jovens mais oportunidades para entrar no mercado de trabalho, o que seria um fator positivo para a economia e os mercados financeiros.

 “Vivemos numa sociedade de conhecimento e experiência. Você tem mais experiência e conhecimento quando está com 60, 65 e 70 anos", completa o magnata mexicano.

Messenger, por sua vez, concorda que uma semana de trabalho menor ajudará a criar mais empregos e com bons salários. Segundo ele, durante a última crise econômica na Alemanha, em vez de demitirem 20% dos funcionários, muitas empresas reduziram o horário de trabalho de todos os trabalhadores e assim evitaram o problema.

Durante a entrevista, Messenger afirmou que as pessoas são mais produtivas com uma semana menor apesar da percepção de que com mais horas de trabalho os funcionários produzem mais mercadorias ou serviços. E foi além: para ele, trabalhar menos será bom para o meio ambiente, com menos emissão de carbono.

Felicidade

E, por fim, o especialista da OIT afirma que, ao trabalharem apenas quatro dias por semana, as pessoas ficarão mais felizes. Estudos mostraram índices mais baixos de estresse e de ansiedade nesses grupos com carga horária reduzida. Para o especialista, o avanço na direção de uma semana de trabalho menor significa um passo na longa estrada para uma sociedade feliz, saudável e mais sustentável.

http://oglobo.globo.com/economia/emprego/jornada-de-trabalho-reduzida-ganha-defensores-14203312#ixzz3G1Si6Npg

0
09.10.2014
Política
Congresso conservador dificulta a luta pela redução da jornada
Blog 40 Horas
Arte Jaws Digital

A luta pela redução constitucional da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução salarial, terá um desafio maior daqui pra frente, pois a maioria dos deputados federais eleitos para a Câmara dos Deputados tem perfil conservador, contrário às reivindicações da classe trabalhadora.

0
07.10.2014
Movimento Sindical
Trabalho decente só com jornada menor de trabalho
CNTM
Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos

Os metalúrgicos participaram da Jornada Mundial pelo Trabalho Decente. No Brasil, trabalho decente é sinônimo de segurança e saúde nos locais de trabalho e mais qualidade de vida, com jornada de trabalho decente.



Mais resultados: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43